terça-feira, 2 de outubro de 2012

"PITACOS" DE UM APRENDIZ DA EDUCAÇÃO II


Aqui estou para mais um capítulo, ou melhor, para mais um "pitaco"...
Em meu primeiro conselho firmei o conceito da importância de que devemos nos "preparar muito para ensinar pouco" pois a inversão dessa "equação" é desastrosa! Portanto devemos estar atentos ao EMO, ou seja, aquilo que você precisa Explicar, aquilo que você só vai Mencionar e aquilo que você pode simplesmente, ou talvez o termo melhor seja necessariamente Omitir:
Ensinar
Mencionar
Omitir
Hoje gostaria de ainda reforçar essa necessidade de nos prepararmos "exaustivamente".

Howard Hendricks em seu livro "Ensinando Para Transformar Vidas" conta que quando estava na universidade saía cedo de sua casa para o trabalho, por volta das 05h30 da manhã, e retornava, quando ficava estudando na biblioteca, por volta das 23h00. Nesse trajeto de ida e volta ele sempre passava perto da casa de um de seus professores e percebia que a lampada da mesa de estudos estava acesa tanto pela manhã como pela noite e seu professor, "debruçado" sobre os livros, estudava exaustivamente. Um dia Hendricks perguntou ao seu mestre por que ele sempre estava estudando e a resposta do professor foi a seguinte:
- Rapaz, quero que meus alunos bebam as águas correntes de um rio, não a água estagnada de uma lagoa.
Isso nos faz questionarmos a nós mesmos: "Que tipo de água nossos alunos estão bebendo?"
O professor que não se prepara exaustivamente para que possa dominar o assunto que vai ministrar limita-se a simplesmente dar água parada e "barrenta" aos seus alunos. Hendricks ainda cita as palavras de Jesus no versículo de Lucas 6:40 "...O discípulo não é superior a seu mestre, mas todo o que for perfeito (ou seja, bem instruído) será como o seu mestre...". Nossos alunos serão um reflexo daquilo que somos como mestres e do tipo de água que oferecemos a eles.
Diante disso, meus amados, devemos dedicar TEMPO ao nosso estudo. Falta de tempo não serve como desculpa pois sempre dispomos de tempo para as coisas que consideramos ser importante dentro de nossa escala de prioridades. Vou contar-lhes algumas experiências pessoais para que entendam como "arranjamos" tempo para aquilo que consideramos importante.
Em minha juventude eu era fã incondicional de dois esportistas: Ayrton Senna e Mike Tyson. Não importava o horário das lutas do Tyson, ali estava eu de olhos arregalados para acompanhá-lo. Talvez os mais jovens não se lembrem, mas as lutas de Mike Tyson quase que em sua totalidade eram decididas nos primeiros segundos, quando não, nos primeiros minutos. Detalhe importante e que não posso deixar de dizer é que as lutas sempre começavam nas madrugadas de sábado para domingo. Eu permanecia acordado até altas horas somente para ver um nocaute que ocorria nos primeiros instantes de luta! E o que dizer do Senna? Como as corridas durante o circuito europeu sempre ocorriam as 09h00 (horário exato do início da EBD-Escola Bíblica Dominical) eu deixava o meu "vídeo-cassete" gravando o evento e quando chegava da Igreja, por volta das 11h30, assistia a gravação como se fosse ao vivo; tanto que no dia da morte do Senna eu estava assistindo a corrida e torcendo por sua vitória sem nem saber que àquela altura ele já estava em coma, quase morto... estou te contando essas experiências para que você entenda que quando consideramos uma coisa IMPORTANTE nós fazemos das "tripas, coração" mas encontramos tempo!
Ensinar, para você, é importante? Se for, seguramente você dedicará tempo, se não, eu concordo que você sempre dirá: não tenho tempo!
Termino com mais uma experiência contada por Howard Hendricks em seu livro; ele conta que estava participando de um Congresso de Escola Dominical quando durante o almoço juntamente com mais dois preletores famosos estavam sentados juntos em uma mesa quando notaram que uma senhora idosa que possuía em suas mãos uma pasta do congresso adentrou ao recinto. Os três a convidaram para que se assentasse a mesa com eles; em meio a conversa eles descobriram que ela possuía 83 anos e tinha uma classe de 13 alunos entre 12 e 14 anos em sua Igreja e que viajara toda a noite de ônibus para participar do congresso. Quando perguntaram para ela o por que de todo esse sacrifício para estar ali ela explicou:
- Quero aprender mais e melhorar meu ensino.
Ela tinha toda uma bagagem de ensino mas mesmo assim ainda estava com disposição de dedicar tempo para aprender mais. Muitos, com muito menos experiência que ela talvez dissessem: "participar de congresso para que? Se for para ser preletor até poderia ser!"
Tempo... essa é a palavra de ordem: Tempo!
"Quem mata o tempo não é assassino, mas sim um suicida." (Millôr Fernandes) "...Remindo o tempo; porquanto os dias são maus..." (Apóstolo Paulo) Efésios 5:16

Um abração e até a próxima!

Um comentário:

António Jesus Batalha disse...

Meu nome é António Batalha, estive a ver e ler algumas coisas de seu blog, achei-o muito bom, e espero vir aqui mais vezes. Meu desejo é que continue a fazer o seu melhor, dando-nos boas mensagens , e falando daquilo que Deus tem feito em sua vida, que a graça e a paz de Jesus continue a ser derramada em sua vida, e o fogo do Espirito Santo continue a usar sua vida.
Tenho um blog Peregrino e servo, se desejar visitar ia deixar-me muito honrado.
Ps. Se desejar seguir meu blog será uma honra ter voce entre meus amigos virtuais, decerto irei retribuir com muito prazer. Siga de forma que possa dar com seu blo.
Deixo a minha benção e a paz de Jesus.